sábado, 31 de março de 2012


VÍDEO DO
#MARATONABBB COM MONIQUE


ESPECIALMENTE EDITADO E PUBLICADO POR
http://temvacasnamoita.blogspot.com.br/
(o único blog que se dispôs a presentear aqueles que não puderam assistir o chat)
MUITO OBRIGADA
PELA DEDICAÇÃO E
PELA AUTORIZAÇÃO PARA A POSTAGEM .


video




OBSERVANDO À EDIÇÃO DA FINAL DO BBB12

Nada, nem ninguém será como antes, fala Bial.
Aliás, nem nós, depois de tamanha decepção. Um programa que tinha tudo pra dar certo e nem a produção nem o povo gado permitiu que o BBB 12 emplacasse.
16 participantes, com perfis completamente distintos convivendo, certamente teríamos bem mais em contexto e uma final espetacular. O povo brasileiro não tem essa homogeneidade que tantos dizem ao afirmar que os eleitos no BBB refletem o povo brasileiro, então poupem-me!

O programa começou com 36 milhões de votos e ao final tivemos pouco mais de 43 milhões. Se lembrarmos dos paredões de Yuri e de Monique podemos afirmar que talvez o total não bateu estes números, não me recordo exatamente, mas durante a edição a diferença do número de votos entre o início e o fechamento da votação se fez bem maior o que nos leva a concluir que, a partir desta época a audiência foi em queda como o Ka-boom (brinquedo de parque de diversões).
Por que será? Porque depois destes dois serem eliminados pouco mais importava na sequencia do jogo e tanto fazia qualquer decisão para os paredões e a final que sucederia. Uma final previsível demais com participantes que não movem paixões, simples, não é?
Talvez nos minutos que antecediam a decisão final, eu preferisse estar como em 2009 quando a diferença entre os três finalistas se fez nas casas dos décimos de porcentagem.

Bial chamou o público para que assistisse uma relação tensa ou intensa entre os dois finalistas. Provável que exatamente por isso, o @boninho tenha dito que Fabiana era uma boa jogadora, já que Fael, se tivesse alguém mais honesto e “normal mentalmente” ao seu lado, nem programa da final teríamos, porque os editores não teriam dado conta da edição do programa pelo sono gerado na mesmice por dias.
Uma mesmice mentirosa já que Fael defendia sua placidez na humildade e nenhum deslumbramento com o que vivia no confinamento.
Fael veterinário formado, filho de política de cidade pequena (desconhecido e simplório passa longe nesta situação), peão de grandes arenas de rodeio (vitorioso já é outra história que não me preocupei em conferir).
Não estou aqui para julgar se a tal prova do laço, espora ou qualquer que o valha, é cruel com os animais, muito menos se veterinário deveria ou não participar de uma. Não sei se os animais são sacrificados ou se são tratados a “pão de ló” naqueles rodeios que ele diz que são de qualidade. Nesse âmbito de análise, fico no fato de que Fael contou no programa como trata seu animal de estimação. O gato, que ele cuida com tanto carinho, mas que sai nas madrugadas a procura de fêmeas para perpetuar a espécie.
Qual o problema? O problema é que o gato é tão “bisonho” que em nenhuma das vezes que vai “prevaricar” volta ileso “pimpão”. Volta é sempre “estrupiado” precisando de intensos cuidados veterinários (destruído como ele disse). O veterinário em questão, cuida do animal com remédios, boa comida e carinhos, para logo em seguida deixa-lo solto para mais uma “diversão” sua e de seu dono, já que Fael se diverte com a “macheza” de seu dileto bichinho. Muitos dos confinados perguntaram o por que de Fael não castrar o animal, já que sempre se machuca tanto. Fael defende a não castração por pena e porque o animal ficaria “sem graça”, pouco brincalhão.
E daí? Daí que a comiseração, no meu entender, deveria pairar no fato de tanta falta de aptidão, do bicho, ao preservar a espécie e por este motivo se machucar tanto e mesmo assim passar longe do pensamentos de seu dono, tal proteção, já que o importante é divertir o veterinário, por ser um animal “viril”. E ainda os animais nascidos destes cruzamentos ficam largados a própria sorte.

Voltando a edição...
Por sabermos quem receberia a “bolada” tiraria nossa vontade de assistir a final com tanta apreensão? Não, claro que não! Isso já aconteceu, mas vale lembrar que naquela época, a pessoa em questão movia muito mais paixão, pois dávamos o “troco” em pessoas que moveram tanto descontentamento popular. Eram os “mauzinhos” que estariam “pagando seus pecados”.
Nesta edição quem receberia o “pagamento” era uma pessoa que chegou até ali, por ser o menos pior na decisão. Ou por outro lado, o competidor que ficaria em segundo lugar, sim, moveu nos voyeurs raiva, desprezo... por fim indignação de como a edição e a produção podem interferir no jogo. A grande maioria tinha em suas mentes a única vontade de bater recordes de rejeição e não de aprovação ao outro. Pasmem!
Comum assistirmos na torcida, observadores, voyers... não satisfeitos com o que viram dos confinados durante os 3 meses prometerem, talvez sem depois conseguir cumprir, que jamais assistiriam outro BBB. Esse ano, o que mais assistimos foram pessoas abandonando blogs, grupos de amigos em redes sociais, entre outros locais que se dedicam a publicar mais que o site oficial, contando e analisando a sequencia do jogo, no meio do caminho, por total indignação com a forma clara de intervenção da produção do reality e não pelos confinados. Sendo assim, desta vez, quase consigo concluir que quem se foi, desse grupo de fãs do programa, não retorne mesmo no ano que vem, para assistir o BBB 13. A produção é que decepcionou demais e como ela provavelmente não mudará, como acontece, com os confinados todos os anos, provavelmente não teremos novas tentativas de apreciação.
Ao que Bial nos chamou pra assistir, mostra não os fatos que levaram a esta “parceria” nos finalistas e sim um discurso de ambos os lados defendendo o seu próprio comportamento de uma possível visão do público ao romance que a produção teimou em criar com as edições. Fica claro que poucos acontecimentos significativos, teríamos para provar o “laço de amizade” entre eles.
Bial faz, a primeira menção a participação do restante do grupo usando uma das questões levantadas no jogo. Uma possível participação sem muito peso para o jogo ter chegado até esta final. Ela, a grande protagonista desta edição teve seu nome citado, Monique, que perambulou por todos arquedutos comportamentais dos confinados. Tanto na amizade deslavada de preconceitos esteriotipados, como o simples fato de se moldar a simples boa convivência para que todos conseguissem ter um período sem grandes desgastes emocionais, em resumo, a imagem real do que é saber estar em um grupo sem que para sua permanência houvesse a necessidade de “destruir” seu oponente em prol do premio milionário que estava em jogo. Esta pegou para si todos os dissabores de picos emocionais, sem que tenha os usado em agressão a seus parceiros de confinamento como a Fabiana o fez.

Na nossa telinha vimos a caricatura de cada um, nos convidando, a assistir momentos inesquecíveis e insuportáveis do confinamento.
Vimos graça, brincadeiras, parceria, amor, em suma envolvimento entre seres humanos e até momentos realmente insuportáveis para ilustrar a edição.
Onde eu achei problemas? No momento em que terminei de assistir o quadro e ter a certeza que os editores foram obrigados a rememorar tudo e somente o que aconteceu antes que só restassem os praianos no jogo, porque depois que todo o grupo da Selva esteve fora da competição, a maresia do ar praiano impediu que acontecesse qualquer momento que ilustrasse este tópico de apresentação em resumo de um reality.
E o romance que sempre esperamos ver quando homens e mulheres bonitos se conhecem e convivem? Foram obrigados a colocar uma estrangeira pra que isso acontecesse no ambiente praia. Vocês vão dizer que estou colocando o Jonas como um da selva, e isso não pode. Claro que não! Jonas se envolveu em beijos com duas silvícolas, mas a que tudo indica pela amostragem dos fatos, que elas assim decidiram que seria e não o contrário. Estamos entendidos?

Voltamos ao segundo bloco do programa onde o Bial deixa o aviso que a próxima seleção de candidatos a serem confinados para o programa do próximo ano estará aberta no dia seguinte ao término deste. Ou seja, o quanto mais rápido pudermos esquecer este melhor. Hehehehe! Nunca antes tivemos inscrições abertas tão cedo, será medo em deixar que o público pense que o BBB com tal insucesso vingue acertadamente mais uma edição do reality?
Bial fala da matéria prima essencial e entrega comovente de quem topa entrar para o confinamento. Para isso escutamos o Rafa falando do tema do BBB 13 “ A gente vive junto, a gente se dá bem. Não desejamos mal a quase ninguém”. Mais uma vez a edição foi procurar idas e vindas de uma época onde havia personagens da selva no confinamento. A ordem cronológica dos fatos sequer foi respeitada. Mas também, o que fariam com as últimas duas semanas de confinamento no tocante entrega, comover e fazer a façanha tecnológica e artística valer o empenho da equipe?

Enfim, sós os dois finalistas... E aí que a produção foi obrigada a montar uma festa de todas as festas, onde para prender a atenção do público, usou-se a emoção dos dois ao assistir um resumo do confinamento em várias telas distribuídas no jardim da casa.
Fabiana mais parecia revoltada com o que via, tendo a total certeza que os dois naquele momento em hipótese alguma seriam foco do evento.
Fael, ao contrário, visivelmente emocionado ao relembrar tudo o que viveu nos últimos 3 meses e poder com as imagens recordar de pessoas importantes para o que estava tendo o privilégio de aproveitar.
Mais uma vez, neste momento pudemos ter a certeza do quanto teríamos de diferença percentual, entre os dois, como resultado da votação que seguia. Não devo esquecer de ressaltar que somente os primeiros 20 minutos de festa, onde estavam atônitos com a novidade no jardim e os momentos finais, depois de tanto o Fael implorar que Fabiana se divertisse o mínimo possível, agradecendo a oportunidade de estar na final disputando o prêmio foi evidenciado.
No intervalo destes dois momentos, quem assistiu ao vivo, seja no PPV ou no site da globo.com, pudemos ver ele realmente envolvido e emocionado com o presente da produção e ela comendo, ou triste, ou pensativa e até deitada por tanto tempo, que a levou a dormir naquele ambiente que era pra ser de comemoração.
Bial faz então menção aos dois distintos grupos que se formaram no confinamento SELVA contra PRAIA, e só assim, um contra o outro, por serem tão diferentes e por isso só poderiam mesmo se tornar oponentes no jogo de convivência. E continua...
“A mania da praia é não arrumar ideia. A ideia da selva é dominar, mudar, mover o mundo. A ideia da praia é agradecer ter mundo. E sem a ideia da selva a roda não teria sido inventada”. Fica claro que nem mundo existiria se não fosse, nos primórdios dos tempos, o que move o “mundo” (confinamento) não tivesse sido colocado no jogo. E foi exatamente assim que assistimos, porque se só de sol, sal e areia tivesse ficado o BBB, teríamos morridos secos e esturricados a esperar que alguém lhe trouxesse de graça um copo de água potável, ou um alimento cozido pelo fogo que a selva também dominou.
Sinto dizer, mas colocar que a selva teria se queimado? Como assim? Não era o DOMÍNIO do fogo para desfrutá-lo com maestria e o que foi comentado? E justo por este motivo a praia sobreviveu!
Se não fosse por este final mal ajambrado no discurso para justificar a vitória da lambança da produção em dar sequencia ao que tomou como ideal pra esta edição, teria sido um dos discursos mais sensacionais em resumo do jogo.
Vimos então uma charge ao som de “nós vamos invadir sua praia” em paródia mostrando o que foi o jogo. A mesmice, a falta de comprometimento sendo invadida pela agressividade de fazer as coisas acontecer. O literal entendimento por parte da Selva que permanecer na “brisa” esperando as coisas “caírem do céu” os levariam a morrer de “fome” com a “comida servida sobre a mesa”.
O que pode e o que deve ser feito quando escolhido e confinado para ajudar a criar o entretenimento?
“Os Mandamentos da Boa Convivência”.
Mais uma vez Monique é citada exemplificando o grupo. “Como diria Monique. P-A-Z <> BRIGA!”
Uma alusão a afirmar que até as discussões mesmo que descabidas, sem que haja agressão física, são abençoadas quando o público quer assistir apenas convivência entre os seres humanos. Mais uma vez pudemos sentir que sem os silvícolas esse ano não teria existido entretenimento.
A amizade que pode ser construída mesmo quando há um premio ao final do jogo vira foco. Tantos ainda duvidam dessa possibilidade, mas enfatizo que não duvido e sinceramente faço votos que consigamos ver este enlace apaixonante em tantos quantos BBBs ainda se façam presentes em nossa telinha no início de cada ano.
A antologia dos clássicos do BBB.
Foi bom assistir tantos momentos maravilhosos dessas 11 edições que antecederam a esta. Lembro de cada um dos que me fizeram “amar” ou “odiar” seres “desconhecidos”.
E sim, digo-me voyeur, mas não me considero pervertida, mesmo que alguns ainda classifiquem desta forma, o se “plantar” na frente do computador por 3 meses o máximo de tempo possível, como um vício.
Amo o exibicionismo e se não fosse uma praticante, talvez nem estivesse aqui escrevendo o que penso pra deixar livre vagando na rede.
A Monique com o sofrimento pela solidão e grandiosidade da importância de um inanimado ser seu refúgio em momentos de lágrimas, lá a Mª Eugenia, hoje um Robô do BBB..
Bial encerrou o programa justificando seus discursos, enigmáticos ao longo da edição, que de enigma pouco tinham.
Bial, deu sim, muitas dicas de como estavam sendo vistos cada um e cada comportamento dentro da casa. Justo por esta forma nada velada de se pronunciar, cada qual da praia tomou para si a razão e decisão de “defenestrar” a Selva. Isso, sem mencionar os grandes erros ao colocar questões tão polemicas, como se fossem brincadeiras infantilóides, ao invés das palavras graves que mereciam receber, tentando omitir a realidade de fatos que fugiam a compreensão do público que só assiste a TV Aberta, mas lia em jornais o quão pesado e desonesto foi a sequência deste.
Bial coloca os dois como vitoriosos, por méritos e motivos, que sinceramente não encontrei na trajetória de nenhum dos dois.
Usou Bob Dylan: “A vida é triste! A vida é um porre! Tudo o que você pode fazer é o que você deve fazer. Você faz o que tem que fazer e faz direito.” Só me faltou entender o que de direito fizeram.

Fala de Fabiana como tendo uma “bigbrodagem”, que ainda não tínhamos visto. Discordo mais uma vez, já que vi em outras edições e até mesmo nesta, pessoas muito mais arraigadas a fazê-lo e sem usar os outros para isso. Ser por si e para proveito próprio sem que haja a necessidade de “desgastar” a figura daquele que está ao seu lado.

Fael é colocado como aquele que tenta omitir aquilo que é. Uma pessoa que vive tentando esconder seus erros, mas que não consegue vitória neste intento. Esta enganação ao público, para que fique o registro, ao tentar esconder a verdade sobre si. Uma pessoa que teria disposto a mostrar-se por inteiro, tem uma desculpa; O fato de ser carismático. Demonstra carinho com seus olhos. Até o fato de simular a “matutez” com a aparente desconfiança nas pessoas que estavam ao seu redor, além de uma grosseria velada e submissa a momentos de descontrole. Retilíneo para aqueles o observam de frente e rapidamente, mas cheio de curvas e abismos para aqueles que resolveram não comprar uma decisão do conceito enfiado goela abaixo do público, que a produção fez lá atrás quando anunciou um matuto dos confins do Brasil. E o pior ainda viria na conclusão. Fael fez o certo, fez o que tinha que ser feito. Mas ele fez o que? Alguém pode me contar?

Encerro minha visão sobre o confinamento do BBB 12 com a seguinte conclusão:
Para assistirmos Comédia, Drama, Pastelão, Brigas, Determinação, Beleza, Romance, Desilusão, Insolência e claro, a certeza que a emoção de uma lembrança nos fará sorrir depois. E exatamente por isso que o BBB foi criado neste formato que tanto encantou multidões por 9 anos. Sinto muito, ao chegar à conclusão que tanto a produção comandando torcidas com suas edições do programa para levá-lo ao público da TV Aberta, moveu o “povo gado” que nos deu este ano, a final sendo decidida por pessoas que “tão pouco” fizeram no confinamento.






terça-feira, 17 de janeiro de 2012

*
*
COMO A SITUAÇÃO FOI RESOLVIDA?

No programa de ontem na Tv aberta, segunda feira 16-01-2012:


“Boa noite! Muito boa noite amigos.” Esta é a frase inicial
de Bial com o público. E continua seu contato ...
“Desde domingo de manhã a produção vem tentando entender o
comportamento de Daniel, suspeito de ter infringido as regras do programa.
Daqui a pouco a direção informará a atitude que foi tomada.”
*****************
Mais tarde depois de enfocar o paredão e aturarmos reclames do plin-plin...

Bial reaparece para o público de casa e diz que a produção
avaliou com o máximo de cuidado os vídeos que comprovariam a quebra de regras
por parte de Daniel. E afirma finalizando o assunto dizendo que Daniel foi de fato
eliminado pois os vídeos comprovam as infrações.
Por que pelo menos não foi
dito que Daniel infringiu a lei de não agredir. Acusá-lo de abuso ou seja o que
for, não poderiam, fato que uma pessoa só pode ser rotulada pelo crime que supostamente
cometeu quando todo o processo de acusação é terminado e julgado pelo juiz.
Antes disso não se pode dar o adjetivo ao réu, muito menos o
considerar como tal.
Caberia então ao público que se interessa, vota nas
eliminações pesquisar que agressões seriam estas da quais Daniel está sendo
acusado. Dessa forma e só assim poderiam dar sua opinião mais adiante.
Concordam?

Fiquei MUITO, mas MUITO feliz em saber que o pessoal que se
dedica a observar o jogo de perto, “tomando conta” dos brothers o maior tempo
possível tem o poder em suas mãos.
Através da internet e somente com a ajuda
dela, pudemos evitar que este cretino continuasse a agir, afinal ele atingiu com
seu comportamento não só Monique como Mayara e Renata com menor
comprometimento.
Me recuso a pronunciar mais uma só vez que seja o nome deste
IMUNDO ORDINÁRIO.
Parabéns para nós!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

*
*
O CASO (OCASO) BBB 12.

O “sol” pode não se por na casa mais vigiada do Brasil, graças a ganância tanto pela audiência como pelo merchand.
“Vergonha Alheia” é assunto desde a manhã de domingo nos quatro cantos da net BBB. Alguns aguardam uma definição para a situação e então resolver se continuará a assistir esta edição e as demais que virão. Boicote chega a ser cogitado. No mínimo “graças aos céus” à pretensão de eliminar o envolvido no caso, quando for ao paredão, com no mínimo um record (mais de 95% de rejeição).

Um cara negro entra no BBB e é questionado sobre sua visão de cotas para negros em vários âmbitos inclusive no BBB. Ele diz ser contra, porque afinal todos tem o sangue da mesma cor.
Frase de efeito, muito significativa e inteligente. Porém... (aí que mora o perigo).

Daniel o rapaz em questão já nas sua primeiras intervenções na casa com os confinados pareceu-me um ditador e para fazer valer seu pensamento é munido e usa frases de efeito com todos os confinados na maioria das vezes que tenta expor seu pensamento ou conduzir qualquer situação que o implique ou não. Confesso que achei bonito até o momento exato que começou a me irritar.
Já cansada de observá-lo pelo que relatei, sem mais nem menos observo uma cena no início de sexta-feira. Mayara na noite anterior teria sido obrigada a dividir a cama com ele. Ela na cozinha fala que foi muito estranho sentir-se “bulinada” na madrugada. Quando Daniel é questionado por ela na frente de alguns ele não só confirma como diz que é assim mesmo afinal são homem e mulher.
Erroneamente este acontecimento não tem o devido valor. Já que bulinar qualquer pessoa de forma sexual é agressão.E agressão no BBB é proibido. Mayara nada satisfeita e como não sentiu grande apoio pela atitude que teve em delata-lo, ficou séria mas relevou, afinal não havia histórico comportamental do rapaz.
Nós da net BBB que observamos o confinamento o maior tempo possível certamente acreditamos que o ocorrido teria sido apenas uma brincadeira de mal gosto, mas uma brincadeira.

Na noite do mesmo dia (sexta feira) quando já tinham recebido a tarefa de treinamento de circo, ele Daniel, tenta beijar na boca Renata que treinava para sua tarefa. Ela se esquiva brincando com a situação.
Fiquei sabendo por comentários na internet que Renata ao descer do quarto selva, cai. Ele que estava no local passa a mão no bumbum da moça justificando que era para limpar a poeira. Ela não aprova a atitude, talvez sentindo que o toque de Daniel teve uma “intenção” a mais.
Confesso que não sei exatamente como estes fatos aconteceram em ordem cronológica só tenho certeza absoluta que seu primeiro comportamento duvidoso aconteceu com Mayara.
Comecei então a observá-lo com mais atenção. Quando quero sei que acho “cabelo em ovo”mas infelizmente na sucessão, que terei ojeriza em contar, mas se faz obrigatório, pois todo repudio ao fato é necessário que fique registrado para que ninguém jamais esqueça até onde pode ir uma pessoa desprovida de respeito e que acredita que não sofrerá punição acharei uma agulha a mais no agulheiro.

Infelizmente é desta forma que o crime vem sendo cometido devido as tão pequenas punições que são dadas aos criminosos. Existe o medo e sabemos que o ser humano em sua imensa obediência a regras e leis consegue viver socialmente, pois se não fosse assim o que seria de nós? É hora de dar exemplo de conduta, no mínimo, tanto por nós como pela produção que é obrigada a zelar pelos confinados.

Voltando aos fatos.
Daniel brinca com muitos e parece até enebriado quando na tarde e noite de sexta feira as brincadeiras focam em sexualidade. Sabemos que isso é um “mote” do programa. Também acho que se todos são bem resolvidos com sexo não há porque deixar de fazer parte de nosso cotidiano o assunto nem mesmo ser abolido de algumas conversas, piadas, brincadeiras... Falo do assunto, já que o ato sexual será reservado a pessoas que se predispõe e com permissão de todas as partes envolvidas, sejam elas de sexo diferente ou até do mesmo sexo quando assim for escolhido.
Daniel continua sem que seja observado mais atentamente pelos confinados já que apenas Mayara verbalizou sua indignação com o corrido. Renata não fez nenhum alarde sobre o fato que claramente a fez se afastar das brincadeiras com ele.

Chega a noite de sábado. Durante o pré festa, enquanto os brothers se arrumavam, eu percebo que ele a cada comentário que fazia sobre a vestimenta das mulheres tinha uma conotação sexual de excitação. Poderia ser percebido como brincadeira, se não fosse meus olhares já acusadores de hoje.
Durante a festa ele traça uma “mira” para suas investidas. Monique é seu alvo. Revendo momentos da festa consigo declarar isso com muita facilidade. Ele investe tão “pesado” que mesmo ao simples comentar que ela está “gostosa” e em companhia de João Carvalho que não gosta da forma como Daniel se expressa o repreende dizendo que ela está sob seus cuidados.
Não satisfeito Daniel volta a investir de forma tão maciça que Monique arruma uma forma de tentar se disvenciliar de forma até engraçada. Ela diz ser travesti para que ele se afaste e aí que as coisas começam a acontecer sem que haja a menor forma de desculpá-lo por qualquer ato que venha praticar dali por diante. Daniel neste momento tenta tocar o “sexo” de Monique, ela atenta salta para trás e diz que ele abra seus olhos, afinal até “gogo” tem. Ele não satisfeito pressiona a glote de Monique com tanta firmeza que ela engasga. Ela sai de perto dele.

Monique parte para companhia de João Carvalho e toca no assunto dizendo que Daniel está agindo de forma muito insistente e por vezes agressiva. João Carvalho fala que a protegerá até de cair em tentação, já que tudo ali é um brincadeira. Oferece para que Monique durma no quarto do líder.
Mesmo antes de tudo o que veio a acontecer, torci mesmo para que Monique fosse dormir no quarto do líder, mas isso não aconteceu porque J Carvalho saiu da festa antes dela e como para entrar no quarto do líder quem está em seu interior tem de abrir a porta. Talvez para não acordá-lo e sem imaginar o que se seguiria ela não foi.
Ainda durante a festa Daniel pediu um beijo (selinho) a Monique por várias vezes. Insistiu tanto que próximo a Rafa que naquele momento conversava com Fabiana e Monique, ela o segura no rosto como se o impedisse de seguir adiante e com este gesto limita o contato físico com um beijo rápido e dado por vontade dela.
Mulheres vão entender exatamente do que falo. Gestos e comportamentos femininos “falam” por si só. Se Monique estivesse de fato receptiva, teria dado a possibilidade de ser abraçada naquele momento e não teria agido da forma como agiu, muito menos como se o pudesse apagar daquele local e continuou sua conversa com Rafa e Fabiana.
Eu,,,, pouco depois deste momento fui dormir o sono dos justos, porque meu cotidiano não permite viver os mesmos horários dos confinados.
Ao acordar domingo e acessar minhas formas de saber o que aconteceu no decorrer da festa, fico chocada. A impressão é que os internautas gostariam que houvesse uma chamada do programa ao vivo na televisão aberta para eliminação sumária de Daniel.
Li sobre o assunto e recorri aos vídeos que já estavam publicados no Youtube para tentar entender tamanha revolta e indignação na net BBB.
Vi é revi inúmeras vezes antes de tomar minha posição. Fato é que existem vídeos perceptivelmente adulterados para alongar o tempo, ou mesmo para evidenciar o que ocorreu.
Sabe- se que o fato levou cerca de 5 ou 6 minutos no total, já que Monique ao se deitar ao lado de Daniel, recebe e dá carinho culminando em um ou dois beijos mais demorados e receptivos pelos dois.
A sequencia é que está sendo tão polemica. Monique depois desses 2 beijos no máximo se torna imóvel na cama e Daniel continua a acariciar Monique. Percebesse que por baixo do edredom ele levanta a perna de Monique dobrando um dos joelhos da moça. Ela ainda imóvel permanece ali. Daniel levanta cabeça do travesseiro e olha ao redor do quarto. A seguir volta a deitar e mais uma vez mexe sob o edredon, talvez deslocando uma peça de roupa dele ou dela. Ele então claramente começa com movimentos pélvicos. Não sei porque motivo, talvez seu não sucesso em se aproximar o suficiente de Monique passa sua mão pelas costas de Monique e a aproxima mais de seu corpo. Neste momento o braço de Monique pende para trás como se ela fosse de um boneco de pano. Daniel então afasta sua cabeça e olha para o espelho localizado na cabeceira da cama.
Neste momento é claro que ele procura um possível observador do que está prestes a executar. Acreditando que não estava em foco nítido de alguma câmera, pois ele também olha para a câmera de frente e esta provavelmente estava imóvel ele prossegue. Todos os confinados já sabem que quando uma câmera quer focar algo, ela se move e faz barulho até quando o zoom é acionado. Acredito que ele não atentou para o fato de estar sendo observado e filmado pela câmera que está por trás do espelho na cabeceira da cama em sua frente e com excelente visão noturna.
Daniel então prossegue, mais uma vez puxa Monique de encontro a seu corpo e volta a fazer movimentos pélvicos. Monique ainda inerte completamente passiva se mantem na mesma posição. Daniel então ajeita o braço de Monique para que fique ao lado do corpo aumentando a área sob o edredon. Ela não move a cabeça nem o corpo mesmo quando ele se movimenta aproximando ou afastando o rosto do dela. Mais nenhum beijo foi visto durante todo este processo. Daniel ainda se movimenta mais uma algumas vezes deixando claro que aproximava sua pélvis a de Monique em movimentos contínuos como se praticasse sexo com penetração naquele momento. Depois de alguns segundos talvez pouco mais de 1 minuto ele deitasse de barriga para cima na cama e Monique ainda imóvel permanece na mesma posição. Adiante ele levanta a perna mais próxima de Monique e dá para ver que a perna de Monique que tinha sido deslocada por ele, cai e não é movimentada.
Na internet não há outros vídeos que mostrem a sequencia dos fatos. Como não assistia naquele momento fiquei sem saber, mas pelo alvoroço que faziam na internet na manhã de domingo, dá pra entender que ali ela ficou e não se mexeu até que o dia amanhecesse e todos na casa acordassem.

Já na sala da casa durante a espera para fazerem o raio X comum a todas as manhãs na rotina BBB falavam sobre os casais formados na festa e Monique e Daniel foram citados pelos que dormiram no quarto selva.
Monique e Daniel não se beijaram na festa, mas foi só irem se deitar que pronto, rolou, afirmavam.
Monique chega no recinto e é questionada. Ela diz que foram uns beijos e Rafa pergunta se foi realmente só isso. Ela diz que sim.
A sequencia dos fatos se dão depois que Monique é convidada a ir ao confessionário e segundo contou, foi questionada sobre seu consentimento sobre tudo o que aconteceu sob o edredon entre ela e Daniel. Ela diz que sim, mas mesmo dando esta afirmativa ao sair do confessionário muda visivelmente de comportamento como perguntasse a si mesma até onde podia se recordar dos acontecimentos.
Procurou Laisa na mesa da cozinha para falar sobre o assunto. E dizendo não se lembrar de nada que a desabonasse junto ao publico fica tensa e se sente suja, dito por ela mesma, como se tivesse feito algo de muito errado. Ainda pergunta a Laisa se ela foi questionada da mesma forma, já que por várias vezes esteve sob o edredon com seu par, o Yuri.
Laisa nega e ela fica pior, e pergunta o porque foi alvo de tal questionamento, sem entender nada do que está acontecendo. Verbaliza que vai esquecer o assunto, mas não é o que parece. Ela passa a maior parte do domingo completamente diferente de seu costume. Quieta, cabisbaixa e muito pensativa.
No final da tarde ela vai ao encontro de Daniel no jardim para questiona-lo sobre o ocorrido. Ele afirma categoricamente que nada “rolou” além de alguns poucos beijos e uma passada de mãos pelos corpos um do outro e em seguida dormiram.
Pelo que contei do que pude observar, não foi tão rápido o contato muito menos se limitou a isso.
Fica a questão de o por que ele teria minimizado tanto o que ocorreu já que ela dizia não se lembrar de nada com clareza.
O que Daniel quer omitir para a própria Monique? O que Daniel acha que pode fazer sem ser visto? Já que Monique deixou claro que não se recorda de nada que houvesse necessidade de ser questionada mas que gerou dúvida na produção deveria ser esclarecido de maneira mais contundente para ambas as partes.
Os vídeos estão lá. Basta retroceder e mostrar a Monique e então questioná-la se ela recorda de estar tanto tempo sem conseguir dormir e recebendo tantas caricias de Daniel. Claro e evidente que ela ficará chocada, pois sua inércia é evidente naquele momento. Claramente ela já dormia ou estava dopada pela quantidade de álcool ingerido na festa.
Me motivei a escrever de forma tão detalhada minha visão sobre os fatos que tive acesso com imagens ora assistindo ao vivo, ora vendo os vídeos que foram publicados na internet pelos internautas, não pela produção do progarama.
Começam as questões.
Por que a Rede Globo é mencionada nas mensagens de vídeos excluídos como a requerente de tais ações?
Por que limitam Monique de dar seu parecer frente a uma simples pergunta mesmo ela dizendo por várias vezes que não lembra de nada ou quase nada que necessitasse tal esclarecimento, justificando embriagues naquela noite?
Por que não poderiam mostrar o vídeo a ela?
Por que o operador de câmera não percebeu? Ou percebeu e continuou em seu foco?
Se percebeu, por que não chamaram atenção de Daniel como de costume, com a sineta? (Basta um simples esquecimento do microfone ou mesmo tocar em um assunto proibido no confinamento que eles são advertidos)
Porque os editores trocaram as ordem dos fatos na cama quando mostraram o vídeo no programa de domingo a noite na TV aberta?
Por que Daniel limitou tanto seu discurso sobre os acontecidos em conversa isolada com Monique na tarde de domingo?
Por que Daniel desde ontem não se sente tão a vontade com Monique para investir em novas caricias, mesmo apenas como amigo mais íntimo?
Por que Monique também mudou seu comportamento? ( Temos de convir que uma mulher não tem este costume de se afastar tão intensamente de um homem após sexo consentido, ou estou mentindo?) Se é tão liberal, e entende o ocorrido porque até então não levou o assunto adiante com mais ninguém na casa?
Por que a mãe de Monique deu o depoimento que irá procurar meios judiciais para defender sua filha confinada?
Por que ninguém da família de Daniel veio a sua defesa?
As questões são muitas. As provas mais que evidentes para muitas pessoas que comentam o programa na internet.
A produção parece ter dado o caso como encerrado, mas gozo em saber que ainda existem pessoas com o mínimo de bom senso e estão a espera de Daniel em um paredão para eliminá-lo do programa o mais rápido possível.
Sinceramente gostaria que o assunto não fosse deixado de lado como parece que está pela produção e por grande maioria dos internautas.
Folgo saber que alguns jornais levaram o assunto a público, já que muitas pessoas que votam por outros meios por não ter acesso a internet e muito menos acompanham o programa 24 horas como é proposto pelo PPV ou globo.com.
É seguir observando e torcendo para que este crápula, não apronte mais nenhuma.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

*
*
*
*
E NO SITE: